quinta-feira, 31 de julho de 2014



OS 15 MANDAMENTOS PARA UM BOM TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO

MANDAMENTO 1: NÃO USAR A PRIMEIRA PESSOA DO SINGULAR EM SUA DISSERTAÇÃO.
Por ser um gênero textual que exige um padrão de objetividade e de afastamento emotivo em relação àquilo que se escreve, o uso da primeira pessoa do singular deve ser evitado. Expressões como EU ACHO QUE, NA MINHA OPINIÃO apontam o envolvimento pessoal do escritor com o que está escrevendo.
Então, como evitar? O que fazer?
Sem pânico! Há técnicas que podem ajudar o aluno a IMPESSOALIZAR a dissertação.

1) Uso da primeira pessoa do plural: Muitas bancas, como a do ENEM, aceitam, durante a correção, que o aluno se inclua, mas de modo mais imparcial. A primeira pessoa do plural possibilita esta estratégia.
Exemplo: Podemos observar que os movimentos imigratórios para o Brasil podem ser positivos para a economia brasileira.

2) Uso da partícula –SE:  É a principal ferramenta para impessoalizar e trazer objetividade e imparcialidade ao texto dissertativo.
Exemplo: Constata-se, então, que a economia brasileira pode ser impulsionada com o investimento no turismo.
Observação: Ao escrever, é importante que tomar decisões. Se você começar a redação com a primeira pessoa do plural, não impessoalize a linguagem do texto com a partícula –SE. Mantenha a dissertação inteira na primeira pessoa do plural.

3) Frases declarativas:  É a estratégia mais direta e objetiva.

Exemplo: Os movimentos imigratórios podem impulsionar a economia brasileira.

MANDAMENTO 2: USO DE EXPRESSÕES CLICHÊS E CHAVÕES QUE REPRESENTAM O SENSO COMUM, TAIS COMO:
·         ATUALMENTE;
·         HOJE EM DIA;
·         A CADA DIA QUE PASSA:
·         NOS DIAS DE HOJE;
·         NA SOCIEDADE EM QUE VIVEMOS;
·         NOS PRIMÓRDIOS DA HUMANIDADE.
- É importante também o cuidado com ARGUMENTOS CLICHÊS. Por serem vazios de informação, podem empobrecer o senso crítico e o teor argumentativo do texto.
Exemplos:
1) As pessoas saem de casa, sem saber se voltarão.
2)  Porque todo professor ganha mal.
3) A culpa dos problemas no Brasil é do governo.
4) É preciso que a população se conscientize e vote melhor.

MANDAMENTO 3: O uso dos verbos ACHAR, DAR, BOTAR. São considerados VÍCIOSDE LINGUAGEM, INFORMAIS E VULGARES, uma vez que estão presentes na oralidade e na fala.
·         ATENÇÃO: Não usar palavras de sentido genérico como COISA e ALGO. Troque por FATO, FATOR, ASPECTO ou CIRCUNSTÂNCIA. Dependo do tema ou do contexto, outras palavras podem ser trocadas para delimitar e explicitar aquilo que quer ser dito.

MANDAMENTO 4: NÃO SE DIRIJA AO INTERLOCUTOR DO SEU TEXTO.
- LEMBRE-SE DE QUE A DISSETAÇÃO NÃO É UM TEXTO DE AUTOAJUDA, MAS SIM UM GÊNERO ARGUMENTATIVO COM A FUNÇÃO DE CONVENCER ESTE LEITOR.
EVITAR:
·         OS PRONOMES VOCÊ, TE, TI, TUA(S), TEU(S), SEU(S), SUA(S);
·         OS VERBOS NO IMPERATIVO.  (Exemplos: Mude o mundo! / Faça sua parte!)

MANDAMENTO 5:  Cuidado com frases exclamativas em sua dissertação. Não esqueça que o texto dissertativo deve ter uma linguagem objetiva, sem emoção. Frases como Viva o povo brasileiro! ou É preciso acabar com a corrupção! expressam envolvimento desnecessário com o tema discutido.

MANDAMENTO 6:  REPETIÇÃO EXCESSIVA DE UMA MESMA PALAVRA OU EXPRESSÃO.
É um erro que torna o texto cansativo para quem o lê. Além disso, afeta consideravelmente a coesão textual, a clareza da dissertação e aponta o óbvio: o aluno não tem conhecimento vocabular suficiente para “dar conta” do tema abordado e manter o assunto até o fim da redação.

MANDAMENTO 7: USO DE PERGUNTAS
“Professor, posso fazer perguntas ao longo do meu texto?”
Pode e deve fazer, querido aluno, desde que sejam respondidas ao longo da argumentação ou logo após o questionamento.   
IMPORTANTE: Não faça perguntas retóricas no fim da dissertação. Toda pergunta deve ter resposta, ok?!

MANDAMENTO 8: USO DE LINGUAGEM FIGURADA
Evite exageros e figuras de linguagem em sua dissertação. Essas ferramentas podem ser utilizadas, sem qualquer problema, em textos poéticos, contudo, no dissertativo, devem ser usadas apenas se forem indispensáveis à argumentação.
Exemplos a serem evitados:
1) Há milhões de problemas a serem resolvidos e nenhuma medida é tomada.
2) O trânsito é um palco onde os motoristas são lobos que se digladiam.

MANDAMENTO 9: USO DE GERÚNDIO
Pode ser um sério problema na produção do texto dissertativo. Além de ser um vício de linguagem, o uso desta forma nominal (-NDO), ao ligar duas orações, pode prejudicar as relações lógico-semânticas dentro de um parágrafo e afetar gravemente a clareza e a coerência de um texto.
Exemplos a serem evitados:
1) É fundamental que sejam criadas medidas urgentes, resolvendo o problema da violência e gerando consequências benéficas a toda sociedade.  
2) A leitura é fundamental, ampliando o senso crítico do leitor e estendendo o seu conhecimento vocabular. 
* Como resolver este problema?
- Use conectivos de FINALIDADE (para que, a fim de que, para) ou de CAUSA (porque, uma vez que, visto que, já que), para desenvolver o verbo no gerúndio e explicitar a ideia que existe entre as orações.
Exemplos:
1)    É fundamental que sejam criadas medidas urgentes, para que se resolva o problema da violência e sejam geradas consequência benéficas a toda sociedade.
2)    A leitura é fundamental, uma vez que amplia o senso crítico do leitor e estende o seu conhecimento vocabular.

MANDAMENTO 10: A REDAÇÃO DE TÓPICOS FRASAIS OBSCUROS E EXPOSITIVOS.
Ao longo da argumentação, é muito importante que todos os argumentos sejam apresentados e desenvolvidos até o fim. Por isso, espera-se que os tópicos frasais sejam claros, delimitados e ricos em informação. Desenvolva até o fim a ideia e o argumento defendido.
Exemplos:
1) Tópico frasal obscuro: Ler é fundamental. (Por quê?)
    Tópico frasal claro: Ler é fundamental, visto que desenvolve no leitor maior conhecimento de mundo e amplo senso crítico.
2) Tópico frasal obscuro: Nada é feito para resolver o problema e tudo é responsabilidade das autoridades. (Nada o quê? Que problema? Tudo o quê?)
    Tópico frasal claro: Nenhuma medida efetiva para resolver o problema do transporte público é tomada e é fundamental que as autoridades tentem resolvê-lo.

MANDAMENTO 11: USO DO PRONOME ONDE E DA EXPRESSÃO ATRAVÉS.
São duas palavras que devem ser usadas para indicar lugar concreto. Na dissertação, pode gerar informalidade. Por isso:
Para evitar ONDE:
 Troque-o por: EM QUE ou NO QUAL, NA QUAL, NOS QUAIS e NAIS QUAIS.
Para evitar ATRAVÉS:
Troque-o por: POR MEIO DE, POR INTERMÉDIO DE

MANDAMENTO 12: SÓ FAÇA CITAÇÕES APENAS SE VOCÊ TIVER A CERTEZA DA FONTE OU DO AUTOR DA FRASE USADA.
Obs.: Se não souber a citação na íntegra, faça referência a ela com suas palavras. A paráfrase pode ser usada sem qualquer tipo de problema.
IMPORTANTE: NÃO INVENTE PESQUISAS NEM DADOS NUMÉRICOS. VOCÊ PERDERÁ UM IMPORTANTE ARGUMENTO DE AUTORIDADE.

MANDAMENTO 13: CUIDADO COM ECOS E REPETIÇÃO DE SONS.
O eco é o termo técnico atribuído à rima acidental que pode ocorrer durante a produção do texto dissertativo. Uma releitura do texto pode auxiliar o aluno a evitar esse erro.

MANDAMENTO 14: AMBIGUIDADE E PLEONASMO
O primeiro, quando acidental, pode provocar duplo sentido indesejado ao texto. O segundo, para enfatizar uma ideia, gera redundância desnecessária. E fundamental que haja total atenção para evitar esses problemas que prejudicam o sentido global da redação. Observe abaixo dois exemplos de títulos ambíguos sobre o tema A mulher consegue conciliar vida profissional e familiar?  E mais um trecho de uma dissertação sobre violência que apresenta tanto a ambiguidade quanto o pleonasmo.
1) Título: O CRESCIMENTO FEMININO
- Que crescimento é este?  É Profissional, físico ou estatístico?
2) Título: A MULHER NO MERCADO
- A mulher está fazendo compras? Ela está crescendo no mercado de trabalho? Ou está solteira?
3) A matança dos bandidos assustou a população, que, já, há tempos atrás, cobra, junto com as autoridades, soluções para o problema da violência.
- A matança dos bandidos: Os bandidos foram mortos ou foram eles que mataram?
- Pleonasmos: HÁ TEMPOS ATRÁS e JUNTO COM

MANDAMENTO 15: NÃO USE TRECHOS DA COLETÂNEA APRESENTADA NO INÍCIO DA PROVA.
Os exames de vestibular, ao formularem as propostas de redação, apresentam ao candidato um conjunto de pequenos textos nas provas para que o aluno possa se situar sobre o tema pedido. É fundamental que o estudante traga conhecimentos anteriores, adquiridos ao longo de sua formação para sustentar e valorizar a dissertação e a tese criada. Por isso, não copie nem utilize partes destes textos apresentados. A banca pode acreditar que você não tem qualquer conhecimento sobre o assunto abordado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário